www.jornalocal.com.br / Blogs Jornal Local / Cidades / Após caso de tortura, Campinas lança novas ações para qualificar atendimento de violência doméstica

Após caso de tortura, Campinas lança novas ações para qualificar atendimento de violência doméstica

O objetivo das ações é fortalecer os serviços da proteção social de média complexidade (atendimento para situações de violência vivenciadas dentro da residência) da Assistência Social.

A Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (SMASDH) apresentou na tarde desta quinta-feira, dia 18 de fevereiro, durante transmissão ao vivo do prefeito Dário Saadi, três ações específicas para qualificar ainda mais o atendimento das famílias que residem no município e apresentam situação de violência doméstica.

De acordo com o prefeito, o objetivo das ações é fortalecer os serviços da proteção social de média complexidade (atendimento para situações de violência vivenciadas dentro da residência) da Assistência Social.

“Queremos melhorar ainda mais o atendimento das famílias que se encontram com algum tipo de situação de violência, por isso solicitei à secretária Vandecleya que fizesse uma revisão nos casos atendidos nos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) para garantir o acompanhamento integral dessas famílias”, comentou.

Na ocasião, a secretária Vandecleya Moro lembrou que o Creas é um serviço da proteção social de média complexidade. Previsto no Sistema Único de Assistência Social (SUAS), o Creas é responsável por atender todos os casos que envolvem violência.

“Desde que assumimos a gestão, estamos trabalhando para fortalecer o Suas. Para isso, temos feito visitas aos equipamentos, conversado com os profissionais. E essas ações que anunciamos hoje foram pensadas junto com a equipe técnica e com as entidades para que possamos ter o melhor resultado possível”, expôs.

Creas

Campinas conta com cinco Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e 15 Organizações da Sociedade Civil (OSCs) que, juntos, atendem cerca de duas mil famílias ao mês. Os profissionais dos Creas são responsáveis pelo atendimento dos casos de reintegração familiar, violência sexual e violência de gênero, e podem encaminhar os demais casos às Organizações da Sociedade Civil. Estas são entidades parceiras que mantêm convênio com a Secretaria de Assistência Social para executar alguns serviços de acompanhamento de famílias com histórico de violação de direitos.

Além do prefeito e da secretária, participaram da live a diretora do Departamento de Assistência Social, Maria Aparecida Giani Barbosa e a coordenadora dos Serviços de Média Complexidade, Maria Angélica Batista. A vereadora Debora Palermo representou o presidente da Câmara Municipal, vereador José Carlos.

Ações Estratégicas

Entre as ações estratégicas pensadas para qualificação dos atendimentos às famílias estão a reanálise dos casos urgentes encaminhados para os Creas, a capacitação das entidades parceiras e dos técnicos da Secretaria e a apresentação do novo Protocolo Creas.

A primeira ação estratégica já teve início nesta semana com a análise dos processos. O objetivo é priorizar o atendimento dos casos considerados urgentes para atender essas famílias com a máxima brevidade. A ideia de reavaliar esses casos está vinculada à avaliação de que o confinamento decorrente da pandemia pode ter agravado situações de violência doméstica.

A capacitação dos profissionais visa agilizar a identificação de situações de violência. O trabalho começa em março para toda a rede de proteção – serviços da assistência social, escolas e centros de saúde -, na perspectiva de instrumentalizar os profissionais para identificar e notificar as situações de violência.

A terceira ação apresentada na live é a apresentação do novo protocolo Creas, documento que acarretará grande impacto para o Serviço. O material traz indicadores que irão contribuir para que os profissionais que atuam na rede possam identificar com mais facilidade o que de fato é demanda para o Creas e o que deve ser direcionado para outro serviço ou outra política pública.

“Com essas três ações, entendemos que estamos fortalecendo os serviços da proteção social de média complexidade, tendo em vista a qualificação e agilidade no atendimento às famílias”, concluiu secretária.

Sobre Jornal Local

Veja também

Campinas fará parte do consórcio de municípios que viabiliza vacinas

Se a cidade tiver de comprar, vamos comprar, com recursos do orçamento da Secretaria de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *