segunda-feira , 3 agosto 2020
www.jornalocal.com.br / Brasil / Vox Populi: 82% da população rejeitam Pazuello no Ministério da Saúde

Vox Populi: 82% da população rejeitam Pazuello no Ministério da Saúde

Pesquisa de opinião pública revela que 59% da população consideram Bolsonaro incapaz de governar o país. E 62% não confiam no presidente da República para o enfrentamento da pandemia

Pesquisa de opinião pública revela que 59% da população consideram Bolsonaro incapaz de governar o país. E 62% não confiam no presidente da República para o enfrentamento da pandemia 14/07/2020 10h05

O povo brasileiro rejeita a permanência do General Eduardo Pazuello à frente do Ministério da Saúde, porque considera a presença do militar uma solução ruim enquanto o país enfrenta a pandemia do Covid-19. Pesquisa do Vox Populi, encomendada pelo PT e apresentada à legenda pelo sociólogo Marcos Coimbra, revela que 82% da sociedade brasileira consideram ruim a permanência do militar e não de um médico no comando do ministério. Só 15% consideram Pazuello à altura da tarefa de lidar com a crise sanitária.

No último sábado, 11 de julho, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, criticou a presença de militares em postos de comando no Ministério da Saúde, considerando inadequada a opção de militarizar o órgão, quando o mais adequado seria a condução da pasta com especialistas em saúde pública. Segundo o magistrado, o Exército estaria se associando a um “genocídio” ao conduzir de maneira incompetente o Ministério da Saúde, sob o comando do general Eduardo Pazuello.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, anunciou que pretende pedir providências ao procurador-geral da República, Augusto Aras, contra as declarações do ministro. Agora pela manhã, Gilmar reiterou as críticas: “Apenas refutei e novamente refuto a decisão de se recrutarem militares para a formulação e execução de uma política de saúde que não tem se mostrado eficaz para evitar a morte de milhares de brasileiros”.

Isolamento é sabotado

De acordo com a Vox Populi, 75% dos entrevistados apontam que a situação da epidemia no Brasil estaria melhor se o presidente Jair Bolsonaro tivesse apoiado o isolamento social desde o início em vez de incentivar as pessoas a saírem de casa. Ele tem sabotado todas as medidas sanitárias recomendadas inclusive pelo Ministério da Saúde. Sua conduta irresponsável e imprudente, participando de manifestações e desprezando medidas de contenção da doença, é condenada por 4 em cada 5 brasileiros. A maioria avalia que o presidente despreza a saúde da população e sabota o combate ao Covid-19.

A pesquisa revela que 67% dos entrevistados consideram que a crise sanitária é mais grave do que imaginavam e só 16% acreditam que a situação é menos grave. De acordo com 68% dos eleitores do Nordeste e Sudeste, a epidemia estaria melhor se Bolsonaro seguisse as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Desde o início da pandemia, há quatro meses, o presidente da República reiteradamente desprezou as recomendações de autoridades sanitárias e trocou dois ministros da Saúde.

Bolsonaro é incapaz de governar

A pesquisa mostra que 59% das pessoas ouvidas pela Vox  consideram Bolsonaro incapaz de governar o Brasil neste momento. Em abril, o percentual era de 52%. Nada menos que 62% dos entrevistados não confiam que Bolsonaro vai tirar o país da crise. A maioria está pessimista em relação ao desdobramento da pandemia do Covid-19: 54% das pessoas ouvidas acham que o pior está por vir e a situação ainda vai piorar. As regiões de maior apreensão são Sul e Sudeste, com 59% e 61%, respectivamente, daqueles que consideram que a crise vai se agravar.

O levantamento de opinião pública foi realizada pela Vox Populi entre 25 de junho e 3 de julho, ouvindo 1.500 pessoas por telefone, residentes em todos os estados e no Distrito Federal, exceto Acre, Amapá e Roraima, em  capitais, regiões metropolitanas e no interior, de todos os estratos socioeconômicos. A margem de erro é de 2,5%, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

Fonte PT

Sobre Jornal Local

Veja também

Brasil tem 88,5 mil mortes e 2,48 milhões de casos acumulados

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo informou que teve “dificuldade para exportar a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *