Diretora da escola Thomas Alves sofre processo administrativo e é suspensa

Segundo publicado no Diário oficial do Estado no dia 18 de novembro, a diretora da Escola Estadual Dr. Thomas Alves, Maria do Carmo Andrade Alves Thimotheo, foi suspensa por noventa dias, devido à irregularidades apontadas na Portaria de Enquadramento Inicial. A publicação oficial também divulgou que a pena de suspensão ocorreu por mitigação à penalidade de demissão, o que significa que o caso foi atenuado.

O processo administrativo que gerou a suspensão da diretora, assim como em outros casos, serve para punir servidores públicos dentro do âmbito da administração pública.

Buscando mais detalhes, a equipe do Jornal Local entrou em contato com a Delegacia de Ensino de Campinas, que informou que o caso era da alçada da Secretaria de Educação, que por sua vez, declarou que o processo administrativo disciplinar corre em segredo de Justiça na Procuradoria Geral do Estado, impossibilitando a secretaria de se pronunciar sobre o caso.

Na Coordenadoria de Procedimentos disciplinares foi informado que o caso da Escola Thomas Alves havia sido encaminhado à Secretaria de Educação para deliberação acerca do relatório final ofertado nos autos, o que redundou na aplicação da sanção conforme constatado no Diário Oficial do Estado.

Quanto à divulgação de detalhes sobre o processo, a Coordenadoria informou que há previsão expressa no Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo Lei 10.261/68, alterada pela Lei Complementar 942/03, artigo 360, estabelecendo que é defeso fornecer à imprensa ou a outros meios de divulgação notas sobre os atos processuais.

A vice diretora da Escola Thomas Alves Marisa Helena Manzin, informou que tanto a escola quanto os professores não vão fornecer nenhuma informação sobre o caso, que até o fechamento desta edição permaneceu em sigilo.

 colegio