segunda-feira , 15 outubro 2018
Home / Economia / Agrotóxicos já causaram 26 mil casos de intoxicação de pessoas, no Brasil, em 10 anos

Agrotóxicos já causaram 26 mil casos de intoxicação de pessoas, no Brasil, em 10 anos

 

Dados do Ministério da Saúde apontam que, entre 2007 e 2017, mais de 26 mil brasileiros apresentaram quadro de contaminação por agrotóxicos no Brasil. A maioria das pessoas teve problemas como diarreia, náuseas, dificuldade para respirar ou alterações sanguíneas. E mais de 1.800 morreram. “Diante de evidências tão sérias dos riscos à saúde que esses produtos oferecem, é urgente mudar esse panorama, reduzindo a presença dessas substâncias progressivamente”, defende o Biólogo Giuseppe Puorto, membro do CRBio-01 – Conselho Regional de Biologia – 1ª Região (SP, MT e MS).

O levantamento do Ministério da Saúde indica também que quase a metade (12.915) dos casos registrados de intoxicação por agrotóxicos no Brasil durante o período analisado ocorreu por tentativa de suicídio. E que um pouco mais de 10 mil casos ocorreram por acidente ou por uso habitual. “Para estas duas circunstâncias, o risco de contaminação é tanto para o trabalhador rural, que tem contato direto com a substância, como também para o consumidor final”, explica o Biólogo do CRBio-01.

Mas, ao invés de diminuir o uso dessas substâncias, no país vem ocorrendo justamente o contrário. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos. E de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2000 e 2012, dobrou o uso de agrotóxicos no país. Atualmente, tramita no Congresso o Projeto de Lei 6299/02, que trata do registro, fiscalização e controle dos agrotóxicos no país. O texto tem gerado enorme discussão, já que pelo PL os agrotóxicos podem ser liberados para uso antes mesmo dos órgãos reguladores concluírem suas análises.

Sobre Jornal Local

Veja também

Cotistas com menos de 60 anos têm última semana para sacar PIS/Pasep

Esta é a última semana para que todos os cotistas dos fundos dos programas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *