segunda-feira , 25 março 2019
Home / Economia e Negócios / Lava Jato recua, mas FUP quer esclarecimentos sobre a validade do acordo fechado com o governo dos EUA

Lava Jato recua, mas FUP quer esclarecimentos sobre a validade do acordo fechado com o governo dos EUA

O escandaloso acordo feito pelos procuradores escancarou os reais objetivos da Lava Jato.

Um dia após o coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel, ter ingressado na justiça com uma Ação Popular para anulação do “acordo” firmado entre o Ministério Público Federal do Paraná e a Petrobrás, que criou um fundo com R$ 2,5 bilhões de recursos da empresa para financiar uma fundação de direito privado, os procuradores da Lava Jato anunciaram que desistiram da construção da entidade. O petroleiro denunciou Deltan Dallagnol e os demais procuradores que assinaram o acordo que é flagrantemente lesivo à Petrobrás.

Em nota, o MPF informou que “diante do debate social existente sobre o destino dos recursos”, os procuradores optaram por discutir com outros órgãos “soluções ou alternativas que eventualmente se mostrem mais favoráveis para assegurar que os valores sejam usufruídos pela sociedade brasileira”.

O assessor jurídico da FUP, Normando Rodrigues, explica que “o recuo temporário dos procuradores da Lava Jato, da canhestra ideia de uma fundação de direito privado, por eles criada, e indiretamente gerida, não põe fim à Ação Popular”.

“Restam outras ilegalidades, incontornáveis, e a necessária discussão sobre a validade do acordo fechado com o governo dos EUA, em franca lesão à Petrobrás e a soberania brasileira, na medida em que jamais sequer examinado pelo STF ou pelo Senado da República”, esclarece o advogado.

Para o coordenador da FUP, José Maria Rangel, o c “Ficou claro que muitos membros do MPF utilizam o combate à corrupção como grande vitrine para construir suas carreiras políticas, como fez o ex-juiz Sérgio Moro”, revelou. “A FUP não vai se deixar enganar por falsos recuos. Esses R$ 2,5 bilhões são dinheiro público e têm que voltar para a Petrobrás”, afirmou.

Sobre Jornal Local

Veja também

As entranhas e derrotas da Lava Jato já começam a aparecer

Em três meses, ministro Sérgio Moro não disse a que veio, e o que disse …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *