www.jornalocal.com.br / Plantão Policial / Operação da Polícia Civil e CPFL encontram “gatos” de energia em estabelecimento de Campinas

Operação da Polícia Civil e CPFL encontram “gatos” de energia em estabelecimento de Campinas

A CPFL Paulista estima que o correspondente ao consumo de 10 residências médias, durante 30 dias, deve ser recuperado após a operação. 

A Polícia Civil, em parceria com a CPFL Paulista, distribuidora que atende 234 municípios no interior de São Paulo, realizou uma operação de combate a fraudes e furtos de energia em Campinas. A ação inspecionou um comércio de motos, peças e acessórios no Parque Industrial e identificou um caso do famoso “gato” de energia elétrica. O proprietário do estabelecimento foi conduzido à unidade policial e deverá responder criminalmente pelo ato.

A operação constatou que não havia medidor no local e que o responsável havia feito a ligação da energia por conta própria. A CPFL Paulista estima que o correspondente ao consumo de 10 residências médias, durante 30 dias, deve ser recuperado após a operação. 

A CPFL Paulista e Polícia Civil atuam constantemente para inspecionar e identificar irregularidades em unidades consumidoras de todos os bairros da cidade. O objetivo é coibir a prática, que piora a qualidade do fornecimento de energia para os demais consumidores e coloca em risco a vida da população, além de encarecer as tarifas para todos os clientes da distribuidora.   

Fraude e furto de energia é crime. As fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal, e a pena pode variar de um a quatro anos de detenção. Também são cobrados dos fraudadores os valores das tarifas referentes a todo o período em que ocorreu o roubo, acrescidos de multa.

Consumidores que fazem “gato”, além de praticarem crime, também estão colocando as suas vidas e da população em risco. Pessoas não habilitadas que tentam manipular o medidor de energia ou realizar ligação direta na rede podem causar acidentes graves, até mesmo fatais.

Sobre Jornal Local

Veja também

Presos com liberdade condicionada a fiança devem ser soltos em todo o país, diz STJ

A Defensoria Pública da União, que fez o mesmo pedido, argumentou que, nos presídios de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *