segunda-feira , 20 maio 2019
Home / Política / Bolsonaro oferece a deputados R$ 40 mi para conseguir votos para a reforma da previdência

Bolsonaro oferece a deputados R$ 40 mi para conseguir votos para a reforma da previdência

Segundo líderes de cinco partidos, proposta foi feita por Onyx Lorenzoni, em reunião na casa de Rodrigo Maia, para deputados do DEM, PP, PSD, PR, PRB e Solidariedade

Usando as táticas da velha política, Jair Bolsonaro (PSL) está determinado em acabar com a aposentadoria dos brasileiros. Para aprovar a reforma da previdência, ele ofereceu aos deputados, R$ 40 milhões, em emendas parlamentares até 2022, para votar a favor da reforma da Previdência.

Reportagem da Folha de S. Paulo desta quarta-feira (24) apontou que líderes de cinco partidos governistas confirmaram que o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), em reunião na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), ofereceu os milhões de verba pública para obter apoio ao desmonte da Previdência. A proposta foi feita para deputados do DEM, PP, PSD, PR, PRB e Solidariedade, que não quiseram ser identificados, segundo a publicação.

Para além confirmar o “toma lá dá cá”, que prometeu dar fim durante a campanha eleitoral, Bolsonaro mostra que fará tudo que for possível para eliminar os direitos dos brasileiros, isso porque a oferta de R$ 40 milhões em emendas representa um acréscimo de 65% no valor que cada deputado pode manejar no Orçamento federal de 2019 para obras e investimentos de infraestrutura em seus redutos eleitorais.

Atualmente, cada deputado federal têm direito a R$ 15,4 milhões em emendas parlamentares. Com os R$ 10 milhões extras por ano, esse valor pularia para R$ 25 milhões. Nesta terça-feira (23), a proposta de emenda à Constituição (PEC 6/2019) foi aprovada em sessão da da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), após o presidente Felipe Francischini (PSL) ignorar um requerimento para suspender a tramitação da matéria por 20 dias, conforme prevê a Constituição para qualquer proposta legislativa que tenha impacto nas contas públicas e não venha dos estudos que a embasem.

Para ser aprovada no Plenário da Câmara dos Deputados a reforma precisa do apoio de pelo menos 308 deputados, em dois turnos, dos 513 deputados.

A Reforma da Previdência foi aprovada na CCJ com a compra de votos. O governo impede o debate, esconde informações da opinião pública e, na surdina, promete R$ 20 bilhões de emendas aos deputados! É o velho “é dando que se recebe”. A velha política na mão de Bolsonaro.

Oposição vai recorrer ao STF para anular sessão da CCJ

A presidenta do PT, a deputada Gleisi Hoffmann, criticou a oferta de Bolsonaro e a condução de Francischini  na sessão. Tanto é que a oposição – PTPDTPSBPCdoBPSol e Rede – anunciou que vai acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para anular a votação na CCJC. “A Reforma da Previdência foi aprovada na CCJ com a compra de votos. O governo impede o debate, esconde informações da opinião pública e, na surdina, promete R$ 20 bilhões de emendas aos deputados! É o velho ‘é dando que se recebe’. A velha política na mão de Bolsonaro”, criticou Gleisi.

A também deputada federal Erika Kokay ironizou o discurso dos governistas de fazerem ‘nova política’.  “Bolsonaristas, nova política é oferecer R$ 40 milhões em emendas parlamentares para cada parlamentar que votar favorável ao fim da aposentadoria do povo? Bolsonaro: de deputado do baixo clero à presidência submissa ao ‘centrão’ e ao velho ‘toma lá da cá’”, aponta Kokay.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações da Folha de S. Paulo

Sobre Jornal Local

Veja também

Investigação sobre eleição da presidência do Senado está em fase final

À época, a primeira tentativa de votação do dia foi anulada depois que, na urna, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *