Home / Política / Deputados participaram do 2º Encontro Nacional de Prefeitos em Brasília

Deputados participaram do 2º Encontro Nacional de Prefeitos em Brasília

Presidente do PT, Gleisi Hoffmann diz que somente com a resistência nos municípios será possível impedir os retrocessos patrocinados pelo governo Bolsonaro.

A presidenta Nacional do PT, deputada  Gleisi Hoffmann (PR), e o Secretário Nacional de Assuntos Institucionais (SNAI) do partido, deputado José Guimarães (CE), afirmaram que a conscientização da população sobre as causas da atual crise política e econômica pela qual passa o Brasil, a pressão para exigir a liberdade do ex-presidente Lula e o fortalecimento do PT – com foco nas próximas eleições de 2020 e 2022 – passa pelo trabalho de base realizado nos municípios.

O alerta foi dado pelos parlamentares durante a abertura do 2º Encontro Nacional de Prefeitos, Prefeitas e Vices do PT, realizado nesta segunda-feira (8), em Brasília. A reunião antecede a Marcha Nacional dos Prefeitos, que começa hoje e vai até a próxima quinta-feira (11) na capital da República.

A presidenta Nacional do PT disse que o Brasil passa por um momento de destruição do Estado Democrático de Direito, dos avanços garantidos pela Constituição de 1988 e dos avanços sociais obtidos durante os governos petistas de Lula e Dilma Rousseff. Segundo ela, somente com a resistência nos municípios será possível impedir os retrocessos patrocinados pelo governo Bolsonaro.

“Esse é um governo de destruição, como já disse o próprio Bolsonaro. Não sobrará nada. Por isso a resistência dos municípios será fundamental. Se tivermos a destruição do Estado Democrático de Direito e da proteção social, os municípios serão os principais afetados”, alertou Gleisi Hoffmann. Ela lembrou ainda que a “partir dos governos petistas, principalmente de Lula, problemas históricos como o da fome começaram a ser enfrentados de forma direta, e as pessoas começaram a deixar de bater na porta da prefeitura para pedir cesta básica”.

A presidenta do PT disse também que o Brasil só vai conseguir se reerguer se o projeto encarnado pelo ex-presidente Lula, de desenvolvimento econômico soberano com justiça social, for retomado no País. Para isso, Gleisi explicou que será preciso enfrentar a ação de setores do judiciário, da imprensa e da elite econômica nacional que, em conluio com interesses internacionais, tramaram desde o golpe de 2016, prenderam Lula e o impediram de disputar as eleições de 2018. Foram esses setores, segundo ela, que permitiram a ascensão de Bolsonaro ao poder.

“Só vamos voltar a ser um País desenvolvido se voltarmos com as políticas do Lula. Por isso, Lula não é passado, é o futuro. Foi durante o período dele que tivemos o melhor momento de prosperidade neste País”, enfatizou. Para Gleisi, o “nosso papel é o de barrar esse projeto de destruição que se avizinha”. E completou: “Temos que politizar nosso discurso, falar dos problemas locais, mas dizer ao povo que se o Brasil não for bem, os municípios também não irão bem. Vamos à luta, é Lula Livre! ”, conclamou.

Agenda Municipalista

Sobre a agenda de retrocessos implementados pelo governo Bolsonaro, o Secretário Nacional de Assuntos Institucionais (SNAI) do PT elencou as principais missões do partido para fortalecer os municípios brasileiros. José Guimarães afirmou que a principal delas é derrotar a Reforma da Previdência.

“Se a reforma (da Previdência) for aprovada, vai impactar diretamente os municípios. A economia local sobrevive muito mais da aposentadoria rural, atacada pela reforma, do que até mesmo o FPM (Fundo de Participação dos Municípios) ”, destacou Guimarães. Como exemplo, o parlamentar petista disse que no Ceará, seu estado de origem, em 70% dos municípios os recursos da aposentadoria rural ultrapassam o dinheiro recebido do FPM.

De acordo com Guimarães, o PT e os prefeitos precisam ainda pressionar o governo é o Congresso Nacional para aprovar outras medidas de auxílio aos municípios. Entre elas, ele citou o repasse de recursos que vierem a ser obtidos com a cessão onerosa e os royalties da exploração de Petróleo, aumento de recursos do FPM e a prorrogação do Fundeb (Fundo de Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação).

Sobre Jornal Local

Veja também

No Senado, Glenn comprova mais uma vez ilegalidades entre Moro e procuradores

Questionado sobre a autenticidades das mensagens, Grenwald esclareceu ao senador que “nas democracias, jornalistas não …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *