Home / Política / MPF diz ao STJ que Lula tem direito a progredir para regime semiaberto

MPF diz ao STJ que Lula tem direito a progredir para regime semiaberto

Em parecer, subprocuradora destacou que o ex-presidente já cumpriu tempo suficiente da pena. Lula é mantido como preso político desde 7 de abril de 2018

Ministério Público Federal (MPF) enviou um parecer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ),nesta terça-feira (4),  no qual afirmou que Lula já pode progredir para o regime semiaberto. Segundo o documento da subprocuradora Áurea Lustosa Pierre, o ex-presidente já cumpriu tempo suficiente da pena para ter o direito à progressão. Leia a nota da defesa.

No regime semiaberto, Lula tem o direito a deixar prisão durante o dia para trabalhar. O ex-presidente é mantido como preso político desde o dia 7 de abril de 2018 após ser condenado pelo ex-juiz Sérgio Moro, em um processo arbitrário e sem provas, a uma pena de 9 anos e 6 meses de prisão.

Lula teve o recurso negado pelo Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4), que aumentou a pena para 12 anos e 1 mês, tempo que posteriormente foi reduzido pelos ministros do STJ a 8 anos e 10 meses. Ao G1, a defesa do ex-presidente destacou que ele está preso há mais de um ano e, por isso, deve cumprir o resto da pena em casa. Ainda de acordo com os advogados, Lula já preenche o requisito do cumprimento de um sexto da pena, o que autoriza a mudança do regime fechado para o semiaberto.

A defesa do ex-presidente, por sua vez, lembrou que como não há estabelecimento que garanta segurança para que ele saia e volte todo dia, Lula deve cumprir a pena em casa, no regime a aberto. No parecer, a subprocurador afirmou que o STJ se omitiu ao não discutir a progressão de regime.

“Assim, data máxima vênia, [a subprocuradora opina] pela complementação do julgado, para que – após procedida detração no âmbito do STJ (tempo que pode ser reduzido), seja fixado o regime semiaberto”, argumentou.

Ainda não há data para que o STJ julgue o pedido da defesa de Lula. O julgamento dos embargos na Corte encerrará o andamento do processo naquele Tribunal, que vai ao Supremo Tribunal Federal (STF) para decidir o mérito da condenação sem provas.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Sobre Jornal Local

Veja também

Sem esperanças com Bolsonaro, povo hoje escolheria Haddad presidente

Segundo uma pesquisa do Datafolha, publicada nesta segunda-feira (2), se o segundo turno da eleição para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *