segunda-feira , 22 janeiro 2018
Home / Campinas e Região / Construção civil: Indaiatuba tem terceira queda seguida em vagas do setor

Construção civil: Indaiatuba tem terceira queda seguida em vagas do setor

construcao-civil_segurança

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), divulgou esta semana os dados de emprego do setor da construção civil referentes ao mês de fevereiro de 2017. Os dados são da pesquisa realizada pelo  SindusCon-SP em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), com base em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE).

Indaiatuba tem nova baixa em vagas no setor da construção civil, com terceira queda consecutiva e o segundo maior índice de queda. Segunda a pesquisa, o mês de fevereiro apresentou queda de 1,80% em relação ao mês de janeiro deste ano. O percentual corresponde a 106 postos de trabalho a menos na cidade, no mês de referência. Ainda em comparação com o primeiro mês do ano, apenas duas cidades da região de abrangência do SindusCon-SP – Regional Campinas tiveram aumento no número de vagas: Americana e Paulínia. Em contrapartida, as maiores quedas foram registradas em Piracicaba e Indaiatuba.

Na comparação com o mesmo período de 2016, a variação fica em -7,58%, com queda de 747 vagas. A última variação positiva do índice havia sido em novembro de 2016, quando registrou alta de 0,10%. Atualmente, o estoque acumulado de trabalhadores é de 5.782 pessoas com carteira assinada.

“A retomada da economia brasileira depende diretamente da estabilidade política que, desde o início do ano, tem demostrado que vai demorar acontecer. Nas cidades em que houve alguma reação positiva, os índices foram bem discretos e ainda não foram suficientes para contrapor o desempenho de 2016 – já que todas as cidades de nossa cobertura continuam negativas nessa comparação”, explica o diretor do SindusCon-SP – Regional Campinas, Marcio Benvenutti.

EMPREGO FORMAL – SINDUSCON-SP REGIONAL CAMPINAS
(Fevereiro de 2017)
Cidades Comparação Fev/2016 Comparação Jan/2017 Total vagas Fev/2017
Absoluto Variação (%) Absoluto Variação (%)
Americana -27 -0,65 48 1,18 4.107
Campinas -2.549 -12,22 -71 -0,39 18.310
Indaiatuba -474 -7,58 -106 -1,80 5.782
Limeira -75 -1,62 -18 -0,39 4.554
Paulínia -346 -17,52 28 1,75 1.629
Piracicaba -1.144 -15,00 -234 -3,48 6.483
Rio Claro -484 -13,96 -17 -0,57 2.982
Valinhos -156 -11,14 -14 -1,11 1.244

Dados: Pesquisa mensal SindusCon-SP e FGV.

Cenário Nacional

 Setor da construção perdeu 14.070 vagas em todo o Brasil em fevereiro, queda de 0,56% em relação a janeiro. Esta é a 29ª queda consecutiva, deixando o estoque de trabalhadores no setor em 2,48 milhões. Na comparação com fevereiro de 2016, houve queda de 13,95%. Em outubro de 2014, primeiro mês de variação negativa, o estoque era de 3,57 milhões – queda de 1,08 milhão de postos de trabalho. Desconsiderando efeitos sazonais*, a queda é de 1,12% em fevereiro (-28.486).

“A intensificação do desemprego na construção resulta da redução contínua do volume de novas obras, decorrente do prolongamento da recessão econômica”, analisa o presidente do SindusCon-SP, José Romeu Ferraz Neto.

A expectativa da entidade é de que este quadro somente se reverterá quando, além do prosseguimento da queda da inflação e dos juros, forem tomadas medidas efetivas para a reativação da economia. “Por isso é tão relevante a aprovação das reformas trabalhista e da previdência, melhorando o ambiente de negócios e proporcionando segurança jurídica ao emprego formal”, comenta Romeu Ferraz.

Segmentação 

Em fevereiro, na comparação com janeiro, os segmentos que mais apresentaram queda foram Obras de instalação (-0,82%), Imobiliário(-0,79%) e Obras de acabamento (-0,65%). Em 12 meses, as maiores baixas são Imobiliário (-16,96%), Obras de acabamento (-13,52%)Infraestrutura (-13,50%).

Estado de São Paulo

Em fevereiro houve queda de 0,66% no emprego em relação a janeiro. O estoque de trabalhadores foi de 694,6 mil em janeiro para 690,1 mil em fevereiro (-4.577). Em 12 meses, são menos 96.006 trabalhadores no setor (-12,21%). Desconsiderando a sazonalidade**, houve redução de 1,12% (-7.840 mil vagas).

Na comparação fevereiro contra janeiro houve queda em todos os segmentos, sendo as maiores em Imobiliário (-1,21%) e Obras de acabamento (-0,83%).

Na capital, que responde por 43,44% do total de empregos no setor, a queda em fevereiro na comparação com o mês anterior foi de 1,05% (-3.160 vagas). Em 12 meses, São Paulo registra retração de 14,10% (-49.022 vagas).

Sobre o SindusCon-SP

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) é a maior associação de empresas do setor na América Latina. Congrega e representa 650 construtoras associadas e 22,5 mil filiadas em todo o estado. A construção paulista representa 27,5% da construção brasileira, que por sua vez equivale a 5,3% do Produto Interno Bruto do Brasil.

Sobre Jornal Local

Veja também

Alfândega de Guarulhos apreende metanfetamina trazida por passageiro

  No dia 29 de dezembro, um passageiro brasileiro que vinha da Espanha desembarcou no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *