quarta-feira , 29 janeiro 2020
www.jornalocal.com.br / Campinas e Região Metropolitana / Record, Rede TV e Band Rio ultrapassam limite de programação paga, diz MPF

Record, Rede TV e Band Rio ultrapassam limite de programação paga, diz MPF

No caso da Band Rio, 5 horas e 45 minutos, ou 23,95% do tempo aos domingos é alugado para igrejas locais do Rio de Janeiro, “as quais pagam até R$ 100.000,00 (cem mil reais) por hora diária na grade de programação da emissora”. 

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do MPF entrou nesta segunda-feira (9/12) com três ações civis públicas contra as emissoras Rede TV, Record e Band Rio por descumprimento da Lei Geral de Radiodifusão, que estabelece um limite de 25% para o tempo de programação que pode ser comercializado.

O Ministério Público Federal também cobra providências por parte da União para que a legislação seja respeitada. 

A apuração foi feita com base em um Inquérito Civil instaurado em 2016. Segundo a ação, atualmente a Rede TV dedica até 11 horas e 25 minutos de sua programação diária (o equivalente a 47,56% do tempo) à veiculação remunerada de conteúdo produzidos por terceiros.

No caso da Record, até 9 horas e 11 minutos diários (equivalente a 38,43%) é composto de programação paga. Já a Band Rio dedica até 6 horas e 34 minutos (27,45%) às propagandas. 

“O limite de 25% faz parte da própria estrutura do serviço de
radiodifusão. Pois ao mesmo tempo em que impede que o particular preste o serviço sob uma lógica eminentemente privada de busca exclusiva pela maximização dos resultados, obriga-o a dedicar a maior parte do tempo de programação — no mínimo, 75% — aos objetivos públicos do serviço, determinados pelo artigo 221 da Constituição ”, afirma o MPF. 

Ainda de acordo com as ações, “o agente que o viola [o limite] obtém uma receita ilegal, que lhe permite aumentar arbitrariamente seus lucros em prejuízo de seus concorrentes”. “Logo, a não observância do limite constitui infração à ordem econômica, nos termos da Lei nº 12.529/2011”.

Igrejas
Um dos motivos apontados pelo MPF pelo grande número de propagandas nas três emissoras tem relação com o tempo que é vendido às igrejas. 

“Uma fatia significativa desse tempo (até 10 horas diárias ou 41,66%) é alugado para igrejas locais, as quais, mediante remuneração, passam a ser titulares do direito de ocupar a faixa radiofrequência do serviço concedido”, afirma a ação contra a Rede TV. 

Já a Record aluga até 7 horas e 45 minutos diários (ou 32,29%) para transmissão de prosélitos da Igreja Universal do Reino de Deus, mediante remuneração não informada pela emissora.

No caso da Band Rio, 5 horas e 45 minutos, ou 23,95% do tempo aos domingos é alugado para igrejas locais do Rio de Janeiro, “as quais pagam até R$ 100.000,00 (cem mil reais) por hora diária na grade de programação da emissora”. 

Sobre Jornal Local

Veja também

PF faz operação contra fraudes na compra de medicamentos

Segundo investigações do Ministério Público Federal, foram desviados mais de R$ 600 mil dos cofres …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *