sexta-feira , 21 fevereiro 2020
www.jornalocal.com.br / Saúde / Atrasos na reforma do Centro de Saúde de Sousas gera mais transtornos à população

Atrasos na reforma do Centro de Saúde de Sousas gera mais transtornos à população

A obra está orçada em R$ 658 mil e só será entregue em maio, garantiu a Prefeitura de Campinas

As obras de reforma do prédio do Centro de Saúde de Sousas, só foram retomadas no início deste mês e têm nova previsão de conclusão para maio deste ano, segundo informou a Secretaria de Saúde de Campinas. Estão previstos a pintura, troca de revestimentos danificados, adequação elétrica e hidráulica, troca de lavatórios, pisos e torneiras. As portas e janelas também serão substituídas e o piso contará com aplicação de resina. A obra está orçada em R$ 658 mil.

A expectativa inicial era de que a obra seria entregue até abril. No entanto, o prazo foi revisto depois da falta de mão de obra da empresa terceirizada pela Prefeitura de Campinas.

Preocupados com o atraso das obras, os conselheiros de Saúde têm acompanhado de perto os trabalhos, e puderam constatar que não há possibilidade de conclusão no prazo estipulado.

“A obra está em andamento, mas longe de ser concluída no prazo”, disse Maurício de Godoy. Enquanto isso, os conselheiros buscam outros canais para cobrar das autoridades um posicionamento.

Segundo os operários, que trabalham no local, as obras começaram em dezembro com apenas um funcionário, depois houve a paralisação das festas de final de ano e só retomaram os trabalhos na segunda semana de janeiro com apenas três funcionários. Até o final do mês, os conselheiros verificaram que apenas oito funcionários trabalhavam no local.

O Centro de Saúde de Sousas está funcionando de forma fracionada em três locais, em Joaquim Egídio, Vila Santana e no Clube Recreativo Sousense, que cedeu o local, temporariamente, para não deixar a população desamparada.

A distância e a falta de informação aos usuários do Centro de Saúde está causando transtornos à população mais carente, já que muitos dependem de transporte coletivo, e algumas vezes, não tem dinheiro para pagar a passagem até Joaquim Egídio. “Tentei ligar no Centro de Saúde, mas ninguém atende ao telefone. Fui à pé para Joaquim Egídio para medir a pressão e chegando lá, não fui atendido” disse o usuário que não quer se identificar.

Sobre Jornal Local

Veja também

China: novo coronavírus provocou 9 mortes e 440 estão infectados

O surto teve início na cidade de Wuhan no mês passado e, agora, já se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *