quinta-feira , 18 julho 2019
Home / Saúde e Bem Estar / Blefaroespasmo pode ser controlado com a aplicação de toxina botulínica

Blefaroespasmo pode ser controlado com a aplicação de toxina botulínica

Piscadas incontroláveis, excessivas e persistentes das pálpebras. Esses alguns dos principais sintomas provocados pelo Blefaroespasmo, doença que atinge 133 pessoas para cada milhão de indivíduos, de acordo com pesquisas internacionais.
A disfunção, caracterizada por contrações involuntárias da musculatura ao redor das pálpebras, é um incômodo constante. Além de fazer com que a pessoa não enxergue, impossibilita as atividades simples do cotidiano, como escrever, se alimentar, vestir, andar e dirigir.
Segundo o neurologista e professor da UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo), Henrique Ballalai Ferraz, a doença é constantemente confundida com conjuntivite e tiques nervosos, fazendo com que as pessoas não procurem tratamento adequado.
“Ás vezes, o paciente queixa-se de um desconforto nos olhos que, na maioria das vezes, coçam e ficam avermelhados. Nos casos de tiques, a pessoa consegue ter algum tipo de controle das contrações palpebrais, diferentemente do que ocorre no Blefaroespasmo”, afirmou o especialista.
A doença não costuma apresentar casos de ligação hereditária, tendo maior incidência em mulheres na faixa etária de 40 a 60 anos. Além disso, o médico alerta que o problema pode ocasionar cegueira funcional, caso não seja tratado. “Nos casos mais graves os ‘piscamentos’ são tão intensos e frequentes que o paciente pode tornar-se virtualmente cego, uma vez que ele não consegue manter os olhos abertos” assinalou Dr. Ballalai. 

Tratamento com a toxina botulínica
 
Uma das novidades no tratamento de Blefaroespamo é aplicação de toxina botulínica tipo A, conhecida popularmente como BOTOX®. Aprovado em 1.992 pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso terapêutico, a substância tem sido uma das principais alternativas clínicas para controlar o problema, uma vez que a doença ainda não tem cura.
“A aplicação de toxina botulínica costumam ser muito bons e os efeitos duram cerca de 2 e 6 meses. É um grande avanço científico, uma vez que os medicamentos convencionais trazem efeitos colaterais”, garantiu o especialista. A toxina é injetada diretamente nos músculos ao redor dos olhos, com o objetivo de relaxar a musculatura contraída. Os efeitos do medicamento podem ser observados no período de 3 a 5 dias após a aplicação.

Sobre Jornal Local

Veja também

Começam hoje as inscrições para a 2ª fase do Programa Mais Médicos

Os profissionais interessados em aderir ao programa terão entre os dias 8 e 12 de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *