terça-feira , 14 julho 2020
www.jornalocal.com.br / Saúde / Covid-19: SC registra aumento de 737% de casos e 940% de óbitos em um mês

Covid-19: SC registra aumento de 737% de casos e 940% de óbitos em um mês

Sobre a evolução da doença nas duas últimas semanas, o grupo da Univali alerta que, na região do Grande Oeste houve um incremento de 1.047% dos casos, com destaque para o município de Chapecó que teve um aumento de 2.450% de casos e, em uma semana, o número de casos aumentou em 595,4%.

Santa Catarina passou do 11º lugar (27 de abril) para o 9º lugar (3 de maio) no número de casos registrados entre os 27 estados brasileiros, sendo também o Estado com o maior número de acometimento do novo coronavírus no Sul do Brasil. O estado está em 16º lugar (52) no País em número de óbitos e sua taxa de acometimento está em 2,06%. No período de um mês, as análises comparativas apontam um incremento de 737% de casos de Covid-19 e de 940% de óbitos de pessoas acometidas pela doença.

Esse levantamento é realizado pelo Laboratório de Conservação e Gestão Costeira da Escola do Mar, Ciência e Tecnologia da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), com base nos dados no Ministério da Saúde, Secretaria de Estado de Santa Catarina e Defesa Civil de Santa Catarina. O mapeamento avalia o conjunto de dados de natureza territorial para o Estado e também para a região da Associação dos municípios da Foz do Rio Itajaí (Amfri) e teve como base os dados divulgados no dia 3 de maio.

Em uma semana, houve um incremento de 88,4% de casos em Santa Catarina e de 21% de óbitos. Atualmente, 135 municípios já possuem casos da doença, o que significa que a cada 2,1 municípios do Estado, um já possui pelo menos um acometimento do vírus (45,7% dos municípios catarinenses). Quanto as questões de gênero, mulheres estão sendo mais acometidas. Do total, 55,6% dos casos são de mulheres e 44,4% são de homens – tal fato decorreu em todo o mês de abril e início de maio.  A faixa de idade com maior acometimento da Covid-19 segue entre 30 e 39 anos com 25% dos casos (632 casos).

Os dados analisados sinalizam que todas as regiões do Estado já possuem casos do novo coronavírus. No entanto, a região de Florianópolis, a qual tinha maior acometimento do vírus, foi ultrapassada pela Macrorregião Sul do Estado com 523 casos ou seja 20,76% dos casos. Esta é também a região que apresenta o maior número de óbitos (16) ou 30,7% dos casos. Em seguida, está a região da Grande Florianópolis com 492 casos (19,53%), e após, a região da Foz do Rio Itajaí com 363 casos (14,41%).

Sobre a evolução da doença nas duas últimas semanas, o grupo da Univali alerta que, na região do Grande Oeste houve um incremento de 1.047% dos casos, com destaque para o município de Chapecó que teve um aumento de 2.450% de casos e, em uma semana, o número de casos aumentou em 595,4%.

Neste setor geográfico, também ocorreu um incremento de 171% de municípios infectados com o novo coronavírus. Atualmente, 19 municípios no Grande Oeste tem a presença do vírus, sendo que há duas semanas eram apenas sete.  Já no Meio Oeste e Serra Catarinense, o incremento foi de 631,7% de casos (o município de Concórdia teve um incremento de 4.300% de casos em duas semanas); o Alto Vale do Itajaí teve aumento de 197,5% (Blumenau com incremento de 198% de casos em duas semanas e 122,7% em uma semana); e a Macroregião Sul teve um incremento de 158,9% de casos.

Região da Amfri

Quanto ao coeficiente de incidência de casos de Covid-19 por 1 milhão de habitantes na Amfri, o maior coeficiente de incidência continua sendo o município de Camboriú (843/1.000.000), considerado em estado de emergência (50% acima da incidência nacional). Em seguida, constam Balneário Camboriú (710/1.000.000) e Navegantes (651/1.000.000), considerados em estado de atenção (número de casos entre 50% e a incidência nacional).

Amdri 04-05 1.jpg

No que se refere ao coeficiente de mortalidade por 1 milhão de habitantes, os municípios com os maiores coeficientes de mortalidade continuam sendo Porto Belo (47/1.000.000) e Camboriú (36/1.000.000). Estes agora em estado de atenção (entre 50% e a incidência nacional).

Os pesquisadores da Universidade alertam que, diante do incremento do número de casos nas duas últimas semanas (92%) e da tendência de crescimento de casos no Estado de Santa Catarina, é fundamental que os casos já notificados, bem como os novos, sejam detalhados em relação ao bairro e ruas de incidência dos casos. “Isso pode ser uma importante estratégia para diagnosticar a situação atual, bem como evitar a proliferação de casos nos municípios da região”, comenta o professor Marcus Polette, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental e docente da Escola do Mar, Ciência e Tecnologia, que lidera o grupo de trabalho na Univali.

Brasil

Esta é 19º semana desde a chegada da COVID 19 no Brasil. O Brasil já está no nono lugar entre os países com maior acometimento de casos da COVID 19 e o sétimo em maior número de mortes. A região brasileira com maior número de casos é a sudeste com 47,6% dos casos, sendo a região sul a penúltima no número de casos (5,5%).

Equipe de pesquisadores atua na avaliação

O professor Marcus Polette conduz o mapeamento junto com o acadêmico de Engenharia Ambiental e Sanitária, Paulo Pitarello, bolsista do Artigo 171, e os mestrandos Matheus Rocha e Darua Valente, do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental. As professoras Carolina Mussi e Rubia Pereira dos Santos, da Escola do Mar, Ciência e Tecnologia, e duas docentes da Escola de Ciências da Saúde, uniram-se ao grupo nas análises. Eles trabalham em parceria com um grupo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Co

Sobre Jornal Local

Veja também

45% das doenças cardíacas começam na boca, alerta Instituto do Coração

Em consulta com seu dentista, o paciente pode pedir essa avaliação, já que o profissional …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *