segunda-feira , 16 setembro 2019
Home / Saúde / Nova droga promete combate inteligente ao câncer de bexiga

Nova droga promete combate inteligente ao câncer de bexiga

Em geral, o principal sintoma é mesmo o sangramento e dor ao urinar. A detecção precoce aumenta em muito as possibilidades de cura.

Um novo aliado no tratamento do câncer de bexiga deve chegar em breve ao país. No último ano, o medicamento Erdafinitib foi aprovado pela FDA (Food and Drug Administration), órgão americano de controle, como Breakthrough Therapy (Terapia Inovadora, em livre tradução), por conta da resposta positiva e rápida nos testes realizados pela instituição.

Aqui no Brasil, a droga está fase de análise e também deve entrar no hall de medicamentos para combate ao câncer de bexiga em breve. Segundo o médico Andrey Soares, oncologista do Centro Paulista de Oncologia – unidade do Grupo Oncoclínicas em São Paulo, a previsão é que a aprovação aconteça ainda neste segundo semestre. O especialista afirma que a ação é positiva principalmente para casos de tumores metastáticos.

“Essa é a primeira droga inteligente no combate ao câncer de bexiga, pois ela tem um alvo único, um gene que está presente em 20% a 25% dos casos metastáticos. E esse ataque mais específico aumenta a sua efetividade”, comenta o médico.

Tabagismo é principal fator de risco

O tabagismo ainda é o principal fator de risco para desenvolvimento do câncer de bexiga, alerta Andrey. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o cigarro está ligado de 50% a 70% dos casos do tumor, que é o sexto de maior incidência entre homens, e o 19° com as mulheres. Em todo o mundo, são registrados 430 mil novos casos anualmente.

“Em geral, o principal sintoma é mesmo o sangramento e dor ao urinar. A detecção precoce aumenta em muito as possibilidades de cura. Em casos descobertos no início, por exemplo, o tratamento pode ser apenas uma raspagem no órgão”, explica.

Em outras situações, a vacina da BCG, a mesma usada para tuberculose, é uma opção efetiva para o tratamento. Mas o especialista faz um alerta: “Nós temos encontrado problemas com a produção dessa vacina no Brasil e no mundo, o que é importante ficar sempre de olho”, analisa.

Em tumores mais avançados localmente, a raspagem, seguida de quimioterapia e radioterapia é uma opção em casos selecionados que não podem ou recusam a cirurgia. O tratamento de escolha e mais adequado ainda é a cirurgia. Nos casos metastáticos o tratamento disponível no Brasil é a quimioterapia e a imunoterapia, e, são para alguns desses casos que, em breve, o Erdafinitib chega ao país com novas esperanças.

“Há uma série de drogas inteligentes surgindo no mercado e as perspectivas para o futuro são de melhorias no tratamento do câncer de bexiga”, finaliza o especialista.

A Anvisa não forneceu uma data específica para o lançamento do novo medicamento.

Sobre Jornal Local

Veja também

Ministério confirma 2.753 casos de sarampo, 98% em São Paulo

Outra recomendação é que, ao completar 1 ano de idade, as crianças recebam a primeira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *