www.jornalocal.com.br / Saúde / Rede Mário Gatti publica edital de chamamento para Hospital de Campanha

Rede Mário Gatti publica edital de chamamento para Hospital de Campanha

A Rede Mário Gatti de Urgência e Emergência publicou, nesta quarta-feira, 29 de abril, no Diário Oficial do Município, o edital de chamamento para seleção da instituição que será responsável pela operação do Hospital de Campanha de Campinas.

A instituição que for selecionada será responsável por toda equipe de recursos humanos do hospital – incluindo equipe de profissionais da saúde, assistência, higiene, alimentação, insumos e demais itens. Para participar, a entidade  precisará ter o Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (Cebas) concedido pelo Ministério da Saúde.

O prefeito de Campinas Jonas Donizette, durante transmissão ao vivo pelas redes sociais na tarde desta quarta-feira, dia 29 de abril, agradeceu tanto o  Expedicionários da Saúde, que está fazendo a montagem do hospital, quanto o Patrulheiros Campinas, que cedeu o espaço para instalação da unidade.

“Quero agradecer essas duas instituições que gratuitamente estão implantando nosso Hospital de Campanha. A organização a Expedicionários da Saúde está fazendo a montagem com toda a complexidade de engenharia que a instalação de um hospital requer e a instituição Patrulheiros Campinas, que cedeu o espaço para a Prefeitura depois da negativa da Unicamp”, disse o prefeito.

O Hospital de Campanha é fruto de uma parceria da Rede Mário Gatti, que será responsável pela gestão, com a organização Expedicionários da Saúde, que disponibilizou 100% da estrutura e dos equipamentos na unidade, e com a instituição Patrulheiros de Campinas, que cedeu a área para instalação do hospital.

A operação do hospital deve ter início na segunda semana de maio. Serão 54 leitos implantados em duas fases. A primeira com 36 leitos e a segunda com mais 18. A capacidade de ampliação chega a 114 leitos.

O tempo previsto para o funcionamento do Hospital é de 90 dias, mas poderá ser ampliado conforme a demanda. O custo estimado da operação está entre R$ 8 e 9 milhões. Os recursos são oriundos do Governo Federal.

A unidade será específica para atendimento referenciado, ou seja, o encaminhamento dos pacientes é feito por meio da regulação de leitos. Não haverá atendimento porta aberta, no qual a população vai diretamente até a unidade.

Doações

A Rede Mário Gatti de Urgência e Emergência recebeu, como doação da Comunitas, 10 monitores multiparâmetros, que serão utilizados em leitos de UTI nas unidades da Rede. Os equipamentos foram entregues na segunda-feira, dia 27 de abril.

Esses equipamentos monitoram uma série de sinais vitais dos pacientes e apresentam as informações na tela. Serão direcionados para os hospitais Mário Gatti ou Ouro Verde. Os equipamentos ficam numa central e os profissionais de saúde fazem a solicitação conforme a necessidade do paciente.

Os aparelhos serão utilizados para atendimento dos casos de Covid-19. Cada equipamento custa em média R$ 12 mil, portanto, a doação completa tem o valor de R$ 120 mil.

Sobre Jornal Local

Veja também

45% das doenças cardíacas começam na boca, alerta Instituto do Coração

Em consulta com seu dentista, o paciente pode pedir essa avaliação, já que o profissional …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *