quinta-feira , 18 julho 2019
Home / Brasil / Sai a lista dos senadores e deputados que vão avaliar a MP 873 da Previdência

Sai a lista dos senadores e deputados que vão avaliar a MP 873 da Previdência

O presidente da Comissão Mista possui a prerrogativa de indeferir liminarmente as emendas apresentadas que forem estranhas ao texto original da MP

Saiu nesta quarta-feira (20) a lista dos deputados federais e senadores que vão decidir os rumos da Medida Provisória (MP) nº 873, enviada ao Congresso Nacional pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), com o objetivo de acabar com a organização sindical e, dessa forma, impedir a luta contra a reforma da Previdência e outros ataques à classe trabalhadora.  (veja lista abaixo).

“Vamos iniciar a pressão. É o momento de os sindicatos, movimentos sociais, trabalhadores e trabalhadoras pressionarem esses parlamentares para que MP seja barrada já na Comissão Mista do Congresso Nacional que vai avaliar a admissibilidade dessa absurda MP 873”, afirma o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas.

A Medida Provisória 873 é inconstitucional, segundo a CUT e as demais Centrais Sindicais, inconstitucionalidade confirmada por entidades de Direito, acadêmicos e especialistas em direito do trabalho.

Em Brasília desde segunda-feira (18), Vagner Freitas obteve a lista dos parlamentares que vão compor a Comissão Mista antes da sua divulgação oficial. Nas últimas semanas, o presidente da CUT tem feito uma “via-sacra” pela Câmara dos Deputados e Senado Federal em conversas com parlamentares e lideranças partidárias sobre a PEC da Reforma da Previdência e a MP 873, ambas atacam a classe trabalhadora. Na semana passada, esteve com os presidentes da Câmara (Rodrigo Maia) e do Senado (Davi Alcolumbre). Ao senador solicitou que a MP seja devolvida à Presidência da República. Alcolumbre se comprometeu a formar uma comissão para estudar o caso.

Na terça-feira (19), Vagner se reuniu com a deputada Gleisi Hoffman e o deputado Enio Verri, ambos do PT. Hoje prossegue com reuniões nas quais ele explica aos parlamentares os efeitos devastadores da MP 873 e da PEC da Reforma da Previdência.

“A intenção dessa Medida Provisória do Bolsonaro é muito clara, atacar e destruir de morte a organização sindical, farol da organização de uma sociedade, e afrontar o estado democrático, porque não existe democracia sem representação sindical dos trabalhadores e trabalhadoras, que têm esse direito garantido pela Constituição Federal” afirmou Vagner Freitas

Na surdina

A Medida Provisória 873 foi enviada ao Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro em 1º de março, véspera do Carnaval, e já está em vigor, mas terá de ser votada pela Câmara e pelo Senado, passando antes por comissões mistas.

“Não há urgência nem relevância nessa matéria, não precisava ser uma MP. Só foi feito dessa forma, na surdina e apressada, porque temem a nossa luta contra a reforma da Previdência”, afirma Vagner Freitas.

 CUT e demais centrais, que já emitiram nota conjunta (leia integra aqui) contra a medida, denunciaram no Congresso que o principal objetivo da MP é destruir os sindicatos para impedir a luta contra a PEC (Projeto de Emenda Constitucional) da Reforma da Previdência, ação prioritária do governo Bolsonaro, que visa acabar com a aposentadoria e a seguridade social.

“Agora que temos os componentes da Comissão Mista”, disse Vagner, “vamos mobilizar a CUT em todos os Estados para procurar seus respectivos deputados e senadores e pressioná-los pressioná-los a rejeitar a MP, porque ela atenta contra o direito de organização dos trabalhadores que é assegurado na Constituição brasileira”.

Vagner lembra ainda que além de a MP 873 possuir dispositivos inconstitucionais, que atentam contra a liberdade sindical (art. 8º, caput e inciso I, III e IV, da Constituição Federal), também vai contra Convenção nº 151 da OIT.

Tramitação e Comissão Mista

O Presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre, é quem designa a Comissão Mista formada por 12 senadores e 12 deputados titulares (com igual número de suplentes), responsável por analisar previamente os pressupostos constitucionais de relevância e urgência, o mérito e a adequação financeira e orçamentária.

Após instalada a comissão, são eleitos o presidente e vice-presidente, pertencentes a Casas diferentes, e designados relator e relator-revisor da matéria, O presidente da Comissão Mista possui a prerrogativa de indeferir liminarmente as emendas apresentadas que forem estranhas ao texto original da MP

Apresentado e discutido, o texto do relator é submetido à votação pelo colegiado, passando a constituir parecer da Comissão Mista ao ser aprovado. O parecer pode concluir, no mérito: pela aprovação total da MP como foi editada pelo Poder Executivo; pela apresentação de Projeto de Lei de Conversão (PL), quando o texto original da MP é alterado; ou pela rejeição da matéria, com o parecer sendo obrigatoriamente encaminhado à apreciação do plenário da Câmara dos Deputados.

A luta será pela rejeição da matéria. Nesta sexta-feira, 22 de março, Vagner Freitas e presidentes das demais centrais sindicais estarão nos atos em defesa da Previdência Social.

Confira a lista dos senadores e deputados que estão na Comissão que vai analisar a MP 873

Sobre Jornal Local

Veja também

Plenário continua hoje votação dos destaques da reforma da Previdência

Maia encerrou as votações dos destaques na noite de ontem após perceber que não conseguiria …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *