No Plenário da Câmara, secretário Michel Abrão nega envolvimento em irregularidades no Caso Ouro Verde

 

Convocado para prestar informações na Câmara, por meio de requerimento do vereador Nelson Hossri (Podemos) aprovado em plenário em dezembro passado, o secretário municipal de Governo Michel Abrão Ferreira esteve nesta tarde no Legislativo. Respondendo a questionamentos do parlamentar autor da convocação, Abrão negou estar envolvido em quaisquer irregularidades no Caso Ouro Verde – nome pelo qual ficou conhecido o esquema de desvio de verbas envolvendo o Hospital Ouro Verde e a organização social Vitale, que é investigado pelo Ministério Público.

Seguindo ao regimento interno para a convocação, o vereador Hossri teve até dez minutos para expor os motivos da convocação e fazer suas perguntas e, na sequência, o secretário teve 30 minutos para fazer sua exposição. Houve ainda, tempo para réplica e tréplica (veja no vídeo abaixo a íntegra da reunião). Nunca recebi nenhum tipo de propina nem começo a existência de nenhum tipo de plano para arrecadação de propina”, pontuou Abrão.

Ele confirmou que recomendou a contratação de Maurício Rosa, mas destacou que foi pelo currículo do profissional e não porque, como disse o delator premiado Daniel Câmara (ex-diretor da Vitale), para montar um eventual “plano B” para arrecadação de propinas. “Nunca tínhamos ouvido falar nisso. Para nós havia apenas um plano, que é o atendimento à população.”

Depois de conclusa a parte inicial, ainda seguindo à regra da convocação, os sete minutos restantes foram divididos igualmente – por partido – aos parlamentares que se interessaram em se manifestar. O parlamentar do Podemos chegou a solicitar uma prorrogação do prazo de uma hora dedicado ao questionamento por igual período. Porém, para que esta fosse aprovada seriam necessários votos de 2/3 dos 33 vereadores presentes e, como não havia quórum para a obtenção do número exigido, a prorrogação foi descartada.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: