www.jornalocal.com.br / Cultura / Cinema / Orquestra Sinfônica faz apresentação em homenagem aos 80 anos da PUC-Campinas

Orquestra Sinfônica faz apresentação em homenagem aos 80 anos da PUC-Campinas

A participação da orquestra tem um significado especial, pois foi a PUC-Campinas que manteve a corporação musical em funcionamento na década de 60.

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas fará uma apresentação
especial em comemoração aos 80 anos da PUC-Campinas, no dia 5
de junho, a partir das 18h30, no Teatro Castro
Mendes. O evento não terá presença de público por conta da piora nas condições sanitárias
relacionadas à pandemia da covid-19, mas será transmitido ao vivo pelo
canal oficial da Universidade no YouTube (https://www.youtube.com/c/PUCCampinasOficial).

A apresentação faz parte das festividades dos 80 anos da
Universidade, que serão comemorados dia 7
de junho. A participação da orquestra tem um
significado especial, pois foi a PUC-Campinas que manteve a corporação musical
em funcionamento na década de 60.  

Em 1963, um projeto idealizado por Monsenhor Emílio José Salim, à
época reitor da Instituição, permitiu que a Orquestra fosse mantida com
recursos da Universidade. Por um período de quase dois anos, ficou
conhecida como Orquestra Sinfônica Universitária, contando com a participação
de alunos que constituíram grande parte dos primeiros e segundos violinos do
grupo. 

“Existe um relacionamento muito próximo e bonito entre a Orquestra
e a PUC-Campinas. Ela não teria continuidade em seus 90 anos de existência se
não fosse a sensibilidade do Monsenhor Emílio José Salim em manter os
músicos. A cidade e a orquestra têm uma dívida com a Universidade. Será
uma apresentação muito bonita, como forma de agradecer pela inteligência e
sensibilidade da Instituição”, disse o maestro Victor Hugo Toro, regente
da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas. 

Para manter a segurança dos músicos no concerto, o grupo será
reduzido para manter o distanciamento e eles serão separados por barreiras de
acrílico. Serão dois oboés, duas trompas, quatro primeiros violinos, três
segundos violinos, duas violas, dois violoncelos e um contrabaixo. 

Estão no repertório os compositores J. Haydn, com “Divertimento em
sol maior, Hob II: G1”; Carlos Gomes, com “Sonata em ré ‘burrico de pau’,
IV mov.”, e W. A. Mozart, com “Sinfonia no. 29, K.201 (186a), lá maior”. A
abertura terá uma fala do Reitor Prof. Dr. Germano Rigacci Júnior. 

Sobre Jornal Local

Veja também

Charlie Watts, baterista dos Rolling Stones, morre aos 80 anos

No palco, ele também ficava satisfeito de deixar a extravagância a cargo de Jagger e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *