www.jornalocal.com.br / Campinas e Região / Vaquinha virtual arrecada recursos para implantação do sebo da Casa da Criança Paralítica

Vaquinha virtual arrecada recursos para implantação do sebo da Casa da Criança Paralítica

Além das vendas no local, a CCP pretende ter ainda a opção de comercializar os títulos em todo o território nacional por meio de sites de comércio eletrônico, como o Estante Virtual e o Mercado Livre, por exemplo.

 

 

Apoiadores da Casa da Criança Paralítica (CCP) organizaram uma vaquinha virtual para arrecadar recursos para a implantação do sebo de livros da instituição de Campinas. Por meio do link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-para-a-casa-da-crianca-paralitica-de-campinas , é possível contribuir com a campanha que pretende angariar R$ 50 mil ao projeto.

A meta da Casa da Criança Paralítica é inaugurar o sebo até o final deste ano em uma área do seu Bazar do Sonho, que desde 2004 comercializa roupas, sapatos, acessórios, móveis, brinquedos, eletrodomésticos e outros itens a preços acessíveis. Para viabilizar o projeto, a instituição iniciou em junho uma campanha em suas redes sociais para arrecadação de exemplares em bom estado doados pela comunidade.

A CCP já recebeu mais de 5000 exemplares. “Estamos priorizando coleções e edições mais antigas e até manuscritos originais para atingir um nicho diferenciado de público para o sebo. Queremos estimular a doação por pessoas que tenham títulos repetidos ou estejam se desfazendo de suas bibliotecas particulares parcial ou integralmente, dando um destino adequado a esse acervo pessoal. O foco não é recebermos materiais didáticos, mas literatura de qualidade. E, dependendo do acervo oferecido, podemos efetuar trocas de títulos”, diz Antonio Pedro Rodrigues, gerente administrativo da Casa da Criança Paralítica.

Para doar livros ao projeto da CCP, basta que os exemplares estejam em bom estado de conservação. As entregas podem ser feitas diretamente no Bazar do Sonho, localizado na sede da instituição, à Rua Pedro Domingos Vitalli, 160, no Parque Itália, em Campinas, ou o interessado pode encaminhar uma mensagem pelo WhatsApp (19) 971709726 para combinar a retirada dos títulos onde estejam armazenados.

O futuro espaço deverá expor entre 8 mil e 10 mil obras literárias e ocupará uma área de 54 metros quadrados do bazar, que tem 300 metros quadrados destinados às vendas e 100 metros quadrados para recepção e armazenamento de itens para triagem. Atualmente, as vendas obtidas pelo bazar correspondem à segunda fonte de receita própria da CCP, atrás apenas dos valores obtidos por meio do telemarketing.

“A receita da instituição é composta por recursos provenientes dos convênios firmados com os governos federal, estadual e municipal, que respondem a 30% do total, e às receitas próprias, caso do repasse da Nota Fiscal Paulista, do resultado da equipe de telemarketing, do bazar e da captação de recursos por meio dos eventos, como a feijoada e a festa junina, que somam os outros 70%. Nossa expectativa é que, quando o sebo estiver em funcionamento, incremente em 30% a atual receita do bazar, o que representaria cerca de R$ 20 mil por mês a mais, inicialmente. Em cinco anos, projetamos que o acréscimo nesse faturamento seja de R$ 60 mil mensais”, observa Rodrigues. Segundo ele, os preços dos exemplares deverão variar entre R$ 10 e R$ 60, dependendo do estado de conservação e da importância da obra.

A Casa da Criança Paralítica deseja implementar o sebo apenas com recursos de terceiros – tanto de pessoas físicas quanto jurídicas interessadas em colaborar com essa ação. “Estimamos um custo inicial aproximado de R$ 50 mil entre a aquisição de prateleiras, balcões para atendimento, poltronas para leituras, mesas de centro para acomodar um café ou água de cortesia, computador, impressora, mão de obra com pintura e instalação de pisos, por exemplo. Idealizamos uma infraestrutura onde o cliente possa ser bem acolhido para escolher os títulos que desejar comprar, pois um sebo costuma atrair diversos ‘garimpeiros literários’ que permanecem por horas no local até escolherem com calma o que irão levar para casa. Esses curiosos, estudiosos e colecionadores visam a diversidade de autores e o baixo custo dos livros em relação às livrarias tradicionais.”

Em uma segunda etapa, serão incluídos no espaço discos de vinil, CDs e DVDs doados. Rodrigues afirma não ter um número estimado de quantos sebos existem hoje em Campinas, mas pontua que essa opção é importante porque é um espaço de cultura sustentável. “Ao adquirir um livro usado, evita-se o corte de uma árvore. Apesar de ser algo que existe há muitos anos, o sebo é, na nossa avaliação, um mercado ainda pouco explorado no País.”

Além das vendas no local, a CCP pretende ter ainda a opção de comercializar os títulos em todo o território nacional por meio de sites de comércio eletrônico, como o Estante Virtual e o Mercado Livre, por exemplo.

 

Sobre a Casa da Criança Paralítica

A Casa da Criança Paralítica oferece atendimento gratuito especializado a crianças, adolescentes e jovens com deficiência física e comprometimento neurológico nas áreas de fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, médica, odontologia, psicologia, nutrição, serviço social e pedagogia, além de orientação às famílias. Em sua sede, são atendidos mais de 350 pacientes por mês, a maioria de baixa renda.

A instituição é certificada como Organização com Boas Práticas em Transparência e Gestão pela Phomenta, que integra o Comitê Internacional de Monitoramento de ONGs. A certificação segue os princípios de ética do Comitê e tem como objetivo desenvolver boas práticas em transparência e gestão para as organizações e proporcionar confiança aos parceiros e à sociedade civil.

 

 

Sobre Jornal Local

Veja também

Mega-Sena sorteia nesta quarta prêmio acumulado em R$ 6,5 milhões

A aposta mínima, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.     A Mega-Sena sorteia, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *