www.jornalocal.com.br / Blogs / Cidades / Estudo de cobertura vacinal já entrevistou quase 800 pessoas em Campinas

Estudo de cobertura vacinal já entrevistou quase 800 pessoas em Campinas

Pesquisa do Ministério da Saúde avalia vacinação de crianças nascidas de 2017 a 2018. A meta é chegar a 1.800 entrevistados.  Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

 

 

Campinas foi selecionada pelo Ministério da Saúde para participar de um estudo sobre cobertura das vacinas incluídas no Programa Nacional de Imunização (PNI), em crianças residentes nas áreas urbanas, nascidas nos anos de 2017 e 2018. Em Campinas, a pesquisa teve início em outubro do ano passado e, até o momento, foram feitas 768 entrevistas. A meta do estudo é entrevistar 1.800 pessoas no total.

O inquérito vacinal ocorre em todo Brasil e, no Estado de São Paulo, está sendo realizado em Campinas e na Capital. O estudo nacional é coordenado por pesquisadores da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em conjunto com universidades de todo o país.

O trabalho de campo é realizado pela empresa Science, contratada pelo Ministério da Saúde. Os entrevistadores usam crachá de identificação e camiseta da empresa. Quem tiver dúvidas, pode ligar no 136 (Disque Saúde do Ministério da Saúde).

A responsável pela articulação do inquérito de cobertura vacinal em Campinas, Cíntia Bastos, esclarece que o objetivo da pesquisa é avaliar a real cobertura vacinal das crianças, além de entender os motivos pelos quais as pessoas deixam de vacinar seus filhos.

“Esse levantamento é muito importante, por isso contamos com a participação das pessoas. Inúmeras pesquisas publicadas atualmente mostram a queda na cobertura de todas as vacinas em crianças. Essa que foi  acentuada no ano passado por causa da pandemia e esse estudo irá contribuir imensamente para identificar quais são os fatores associados a esse fato”, ressaltou.

No total serão entrevistadas 1.800 pessoas (pais ou responsáveis), selecionados por amostra dentro do universo da pesquisa. Este universo foi dividido em perfis socioeconômicos e feita a amostra aleatória dos domicílios com base nos dados fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde. O responsável responde a um breve questionário e o entrevistador tira fotos da caderneta de vacinação. Esta será digitalizada para que os dados sejam enviados ao Ministério da Saúde.

As análises das carteiras de vacinação pretendem checar se as vacinas estão em dia e, se não estiverem, o porquê dos atrasos. A partir dos resultados será possível definir políticas públicas para melhorar o acesso à vacinação e, com isso, aumentar as coberturas.

Sobre Jornal Local

Veja também

Festa do Boi Falô volta a agitar Barão Geraldo na Sexta-feira Santa

SantaSerá a 26ª edição do evento, que será realizado presencialmente na Praça do Coco, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *