www.jornalocal.com.br / Meio Ambiente / Educação ambiental é uma questão de sobrevivência

Educação ambiental é uma questão de sobrevivência

O nosso planeta chegou a um ponto em que a preocupação com o meio ambiente agora é pura questão de sobrevivência. Pesquisas e mais pesquisas apontam para um colapso caso não sejam tomadas medidas que priorizem um desenvolvimento sustentável. Quanto mais cedo se inicie a conscientização do cidadão, maiores as nossas chances, concordam os especialistas.
A chama da esperança aparece em ações de instituições como da Escola Internacional de Alphaville, membro da Agenda 21 Escolar, que colocou já há algum tempo o assunto na ordem do dia. O tema é destaque nas aulas de Cultura Internacional, Inglês, Informática, Filosofia, Biologia e Teatro. Peças de teatro, trabalhos fotográficos, pesquisas in loco, leituras, análises químicas, qualquer ação que envolva o tema mobiliza significativamente seu alunos. Desde 2003, a Escola Internacional participa também do Projeto Mãos à Obra pelo Tietê da Fundação SOS Mata Atlântica.
Os alunos dessa escola compõem um dos grupos mais ativos que participam do monitoramento das águas do Rio Tietê. Eles foram conferir in loco e fotografar as águas poluídas do rio Tietê nos municípios de Santana de Parnaíba, Salto e Pirapora do Bom Jesus onde, no inverno, formam-se blocos de espuma que compõem o cenário surrealista que volta e meia aparece em imagens chocantes no noticiário nacional.
Segundo Gustavo Veronesi, do Núcleo União Pró-Tietê, é fundamental a participação de todos: alunos, educadores, pais e de toda a população. Daí a importância de os alunos não só estudarem os rios do mundo, mas se comprometerem com a preservação e despoluição do rio que passa na nossa “aldeia”, no caso, o Tietê.
Segundo o fotógrafo, ambientalista e coordenador de Informática da Internacional, Eduardo Nobilioni, “o mais importante é semear idéias que nossos alunos possam cultivar. E isso está acontecendo no projeto Tietê, Tietê. Eles estão cultivando essas sementes, independentes de nós”.

Sobre Sandra Venâncio

Veja também

Baixa histórica em nível de rio atrasa comércio exterior do Paraguai

A seca reduziu drasticamente o nível do rio que nasce no Brasil, cruza o Paraguai …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *