www.jornalocal.com.br / Memórias / História / Lili Bertazolli deixa saudades

Lili Bertazolli deixa saudades

Lili Bertazolli deixa saudades

O ex-combatente da 2ª Guerra Mundial morreu aos 94 anos

 

Mariana Dorigatti

 

Luiz Bertazolli, mais conhecido como Lili, nasceu no dia 1º de outubro de 1915 na Fazenda Sant´Ana, na beira do Rio Atibaia. Casado com Lourdes Carmelini, e pai de Maria Judith e Luiz Junior, o ex- combatente da 2ª Guerra Mundial pela Força Expedicionária Brasileira, incorporou o 6º regimento de infantaria que partiu para a Itália em 1944.

Na época, Lili e outros cinco jovens do distrito de Sousas foram colocados em um navio que partia em direção à Itália para o que seria apenas um treinamento. Ao chegarem lá tiveram uma surpresa: o suposto treinamento era a guerra de verdade. As famílias foram avisadas quando os rapazes já estavam com os fuzis na mão, e nada poderia ser feito para evitar os perigos que passariam.

Assim, durante um ano e seis meses Lili passou pelas provações que a guerra oferece, fugindo de granadas, minas e bombas.

Quando o sobrevivente da guerra voltou, conheceu Lourdes. Ele com 31 anos e ela com 18, transformaram-se em companheiros por toda a vida. Hoje, Lourdes fala com carinho do falecido esposo e guarda com capricho todas as roupas e objetos pessoais de Lili, que serão divididos entre os netos e doados aos museus.

O patriotismo sempre esteve presente no coração deste veterano de guerra. Dona Lourdes se lembra das vezes em que ele assistia nos noticiários as guerras de outros países e dizia: “Se precisar vou de novo para a guerra, defenderei o Brasil de qualquer maneira”.

Quando o hino nacional era tocado, não importava onde Lili estava, ele se posicionava com seriedade e cantava o hino brasileiro com todo orgulho de um verdadeiro patriota.

Luiz Bertazolli também adorava sua gaita. Ele a tocou em todos os aniversários e festas da família até quando o fôlego não era mais o mesmo.

Em seu último ano de vida, Lili ficou hospedado no Repouso Naturalis, recebendo carinho e assistência de todos os funcionários da clínica, e de Lourdes, que o visitava todos os dias. Com pouca lucidez, Lili não quis festejar seu ultimo aniversário com a família. Ele pediu para sua esposa levar o bolo para compartilhar com seus amigos da casa de repouso.

Um de seus pedidos foi que a Canção dos Expedicionários fosse cantada em seu enterro. E assim foi feito no dia 31 de outubro de 2009 quando Luiz Bertazolli se despediu de todos aos 94 anos.

 

Trecho da Canção dos Expedicionários

“Por mais terras que eu percorra,

Não permita Deus que eu morra

Sem que volte para lá;

Sem que leve por divisa,

Esse ‘V’ que simboliza

A vitória que virá”.

Sobre Jornal Local

Veja também

Aos 65 anos de idade mulher multifacetada mostra que é possível viver e criar intensamente

Dona Clores é uma mulher excêntrica, com uma alma inquieta, cheia de luz, com a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *