www.jornalocal.com.br / Política / Partidos debatem construção de grande ato unificado nacional

Partidos debatem construção de grande ato unificado nacional

No encontro, foi discutida a construção de um grande ato nacional unificado com todas as forças políticas que defendem a democracia. Além dos partidos, os organizadores contam com a participação do movimento social, sindical da da juventude, entre outros setores. Foto Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

 

Uma reunião em Brasília na quarta-feira, 8, à noite, reuniu nove partidos para debater os próximos passos do movimento nacional pelo impeachment. Participaram da reunião o PT, PDT, PSB, PSOL, PCdoB, PV, Solidariedade, Rede e Cidadania. No encontro, foi discutida a construção de um grande ato nacional unificado com todas as forças políticas que defendem a democracia. Além dos partidos, os organizadores contam com a participação do movimento social, sindical da da juventude, entre outros setores.

De acordo com a presidenta do PT, não existe conflito entre a construção de uma ampla manifestação e as agendas e eventos já agendados. “Enquanto construímos esta grande manifestação de unidade pela democracia, pelo Brasil e pelos direitos do povo, incentivamos todos os atos que forem realizados em defesa do impeachment“, disse Gleisi em seu perfil de Twitter. “O país está cobrando a responsabilidade do presidente da Câmara pela abertura dos processos”, afirmou.

À tarde da quarta-feira, no plenário da Câmara dos Deputados, a presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores, a deputada federal (PR) Gleisi Hoffman cobrou uma posição do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, pautar o pedido de impeachment. “Arthur Lira não pode continuar naturalizando os atos antidemocráticos e os crimes de Bolsonaro contra a Constituição”. E completou: “esperava do presidente da Câmara uma atitude mais firme”, questionando o conteúdo de sua posição sobre as manifestações de Bolsonaro na terça-feira.

Da Redação do PT

Sobre Jornal Local

Veja também

12 mil crianças de até seis anos ficaram órfãs pela pandemia

Entre março de 2020 e setembro de 2021, cartórios registraram morte por Covid-19 de um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *