www.jornalocal.com.br / Cultura / Escravização é tema de exposição “As pessoas dos 482 anos” de artista capixaba em Campinas

Escravização é tema de exposição “As pessoas dos 482 anos” de artista capixaba em Campinas

O artista traz para o espaço – dedicado às atividades de difusão da arte contemporânea – todos os processos que atravessaram seu corpo em performance, desdobrando-os em uma instalação homônima nas salas da galeria. 

 

 

 

A partir das ações realizadas no período de residência, o artista visual e performer, Geovanni Lima @geovannilima1, realiza sua primeira exposição individual, na ATAL 609, em Campinas, denominada “As pessoas dos 482 anos”, uma referência direta a possivel data de inicio da escravização de corpos negros no país (1538/1539).

São apresentados no espaço os documentos das performances realizadas pela cidade paulista em seu período de residência e uma instalação. A poética do artista considera espaços, histórias e dinâmicas de corpos negros, que cartografa por seu testemunho e corporifica a partir de sua presença.

O artista traz para o espaço – dedicado às atividades de difusão da arte contemporânea – todos os processos que atravessaram seu corpo em performance, desdobrando-os em uma instalação homônima nas salas da galeria.

Nas palavras do artista, a primeira ação, em referência ao dia da independência: “Dia 07 de setembro, dia em que a bandeira do Brasil, em um processo de usurpação, fortalece processos golpistas e anti-democráticos, eu coloco a bandeira de Oxalá, da justiça, nas ruas do Cambuí, saindo do AT|AL 609 e indo até a o Museu do Negro de Campinas”.

Geovanni Lima foi um dos indicados ao Prêmio Pipa e finalista do Pipa Online neste ano. Além de artista e performer, é Doutorando e Mestre em Artes Visuais pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e licenciado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), pesquisador e educador.

Participou ainda de diversos eventos de arte, como, por exemplo, o XI Encuentro Internacional do Hemispheric Institute, da New York University (NYU) (2019); a p.ARTE participação nº 42, da Plataforma de Performance Arte no Brasil (2019); a Residência e Festival Corpus Urbis – 4ª edição – Oiapoque/AP; a Maluguxs – Residência Artística (2021) e a MataCorpo Verdes Entranhas (2021). Como produtor cultural, é um dos propositores do projeto Performe-se – Festival de Performance (2015, 2017) e coordena o Festival Lacração – Arte e Cultura LGBTQIA+ (2019, 2021), ambos realizados no Espírito Santo. Em 2021 foi um dos artistas indicados ao Prêmio Pipa e um dos finalistas do Pipa Online.

 

Sobre o ATAL609

Localizado na cidade de Campinas, interior de São Paulo, o AT |AL 609 é um espaço de organização independente e sem fins lucrativos. Suas ações visam encontros múltiplos e a participação da comunidade através de práticas artísticas, bem como a ampliação de processos criativos coletivos e multidisciplinares. O espaço se dedica às atividades de difusão da arte contemporânea por meio de exposições, cursos, oficinas, além do programa de residências artísticas.

 

Sobre o Programa de Residências

O Programa de Residências Artísticas é voltado para artistas visuais de qualquer localidade. Através dos projetos desenvolvidos busca caminhar por um inter-relacionar de territórios, processos criativos e de produções, como modos de fortalecer circuitos ativos em uma linguagem contemporânea, descentralizados dos grandes centros já instaurados.

 

SERVIÇO:

  • As pessoas dos 482 anos
  • Exposição individual de Geovanni Lima na ATAL 609
  • Endereço: Rua Antonio Lapa, 609, Cambuí, Campinas, São Paulo
  • Visitação: quarta-feira a sexta-feira das 14h às 19h
  • Agendamento em: @609atal ou em ciclodeacoesperformaticas@gmail.com

 

Sobre Jornal Local

Veja também

Paulo Cheida Sans faz esculturas para as novas praças da PUC-Campinas

As esculturas feitas por Paulo Cheida representam os dois Santos, nomes das praças. As peças …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *