www.jornalocal.com.br / Política / Lula recebe apoio do Psol e agradece solidariedade nos momentos difíceis

Lula recebe apoio do Psol e agradece solidariedade nos momentos difíceis

Em seu discurso, durante evento realizado em São Paulo, neste sábado, 30, Lula agradeceu à legenda e lembrou da presença durante a perseguição promovida pela Lava Jato. Foto Ricardo Stuckert

 

O Psol anunciou formalmente o apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante uma conferência na tarde de hoje, 30, em São Paulo. Dirigentes do partido entregaram 12 propostas para ajudar na elaboração de um futuro programa de governo e afirmaram que estarão juntos até as eleições de outubro. Em seu discurso, Lula agradeceu à legenda e lembrou da presença durante a perseguição promovida pela Lava Jato.

“Minha relação com o Psol é de confiança, de agradecimento, pelo fato de vocês terem nascido, pela coragem de criar um partido político, pela coragem de enfrentar a dificuldade e pela solidariedade. O Psol teve um papel extraordinário, poucas vezes um partido foi tão solidário como foi comigo”, lembrou.

O ex-presidente comentou sobre a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU, anunciado na última semana, que considerou que as decisões do ex-juiz Sérgio Moro contra Lula foram parciais e mereceram anulação. Mesmo assim, refletiu que por toda a campanha que sofreu dos meios de comunicação na época, algumas pessoas se afastaram.

“Tem muita gente que pensa que fiz uma bravata quando falei que não trocava minha dignidade pela minha liberdade, tive a chance de sair com tornozeleira, mas eu sabia que era o que ele queria. Quando eu saí da cadeia eu estava mais forte, meus adversários estavam mais fracos. Estou aqui para agradecer a solidariedade de vocês e estou feliz pela decisão da ONU de reconhecer a safadeza que o juiz fez comigo”, afirmou.

Apoio na caminhada

O presidente nacional do Psol, Juliano Medeiros fez um discurso que destacou a união entre os partidos de esquerda para derrotar o bolsonarismo nas eleições de outubro, algo necessário para retomar o desenvolvimento do país.

“Nós não estamos pedindo nada em troca do apoio, o que estamos fazendo é pelo Brasil. A gente queria ter derrubado o Bolsonaro em 2021. Se tivesse conseguido, cada partido poderia apresentar seus candidatos e disputar suas ideias, mas não derrubamos. Então a porta de saída para esse pesadelo é a eleição, e quem pode abrir essa porta é o Lula”, declarou Medeiros.

A deputada federal Talíria Petrone (RJ), falou sobre a importância do gesto de união sem contrapartidas e da defesa da democracia brasileira. “Tenho um orgulho imenso de construir o partido, porque os tempos são terríveis, dramáticos e este partido não abriu mão da responsabilidade histórica. Nossa democracia é muito jovem, é um negócio muito etéreo para o povo, nós sabemos que ela ainda não se completou e não chegou às comunidades do país. Nosso compromisso é da gente se jogar nessa campanha”, afirmou.

Pré-candidato a deputado federal em São Paulo, Guilherme Boulos exaltou a união neste momento decisivo. “É um dia que vai marcar a história da esquerda brasileira, um dia em que nós fomos capazes de colocar aquilo que nos separa em segundo plano em relação ao que nos une. O foco da militância do Psol é um só, derrotar o Bolsonaro. Que a eleição seja um momento de justiça histórica, para reconstruir o Brasil e revogar o teto de gastos, que cortou recursos do sus, da educação, das moradias populares”, ressaltou.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), agradeceu o apoio do Psol. “É um povo sem medo de lutar, que nos momentos mais difíceis nunca fugiu. Esteve ali junto, enfrentando o impeachment, o golpe, sem titubear. Aquele momento não era contra um partido, contra o Lula, contra a Dilma, era contra a população do Brasil. É com grande alegria que estamos aqui sabendo que vamos estar juntos na caminhada. Cabe a nós dar esperança para o povo brasileiro. É uma alegria muito grande tê-los na caminhada”, completou.

O evento também teve as presenças de lideranças do Psol como os deputados Ivan Valente (SP), Áurea Carolina (MG), a presidente da Fundação Lauro Campos e Marielle Franco, Natália Szermeta, e o historiador Valério Arcary, e também de outros partidos aliados, como o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o deputado federal Orlando Silva (PC do B-SP), e do presidente do diretório estadual do PV em São Paulo, Marcos Belizário.

Do site lula.com.br

Sobre Jornal Local

Veja também

Lula e Alckmin lançam diretrizes de plano de governo nesta terça, às 10h

Documento, estruturado a partir dos eixos “desenvolvimento social e garantia de direitos”, “desenvolvimento econômico e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *